Por que o beijo gay em Malhação é importante


Se você tem vinte e poucos anos, a probabilidade de você ter crescido assistindo Malhação é alta. Confesso que sempre fui bastante fã da novela que está no ar há mais de duas décadas. Apesar de já ter se reinventado algumas vezes, a premissa de Malhação sempre foi a mesma: retratar a vida de adolescentes que estão nos últimos anos do colégio (a temporada de 2011, Malhação Conectados foi a única que mudou um pouco o enfoque e resolveu centrar a trama em jovens no início da faculdade).

A novela chegou a ganhar muitos elogios por retratar temas polêmicos como gravidez na adolescência, drogas, racismo, aborto e sexualidade. É verdade que esse último tema sempre foi tratado de maneira muito discreta. Malhação já até apresentou alguns personagens gays ou lésbicas, entretanto, eles nunca tiveram um grande destaque na história e nem estiveram presentes em toda a temporada.

O plot central da novela foi sempre o mesmo, também: um mocinho e uma mocinha se conhecem mas acabam não conseguindo ficar juntos pela interferência de um casal antagonista. Acontece que, nos últimos anos, Malhação começou a ser exibido com um subtítulo. E no ano de 2017 foi anunciada a temporada MALHAÇÃO - VIVA A DIFERENÇA. Mesmo sem efetivamente acompanhar a novela pela TV, sempre procurei saber um pouco de cada temporada, afinal, foram muitos e muitos anos saindo correndo do colégio para chegar a tempo em casa e ver o capítulo do dia (Inclusive, saudades da melhor banda que esse país já viu! #voltavagabanda)!

Sendo um membro da sigla LGBT, sempre fiquei na esperança que Malhação finalmente retratasse um casal homoafetivo, até porque o tema começou a ser exibido nas últimas novelas, então, seria sua aparição numa trama que retrata a vida de adolescentes e jovens adultos. Quando fiquei sabendo do nome da temporada achei que esse seria a hora perfeita para finalmente Malhação retratar esse aspecto da sexualidade de uma forma mais profunda e real. Entretanto, assim que saiu a sinopse da temporada e uma mini biografia das protagonistas, me decepcionei em ver que aparentemente, não seria dessa vez que veríamos jovens explorando sua sexualidade na novela da tarde, mesmo tendo a palavra DIVERSIDADE no título. A história giraria em torno de 5 meninas de classe sociais, etnias e personalidades diferentes se tornando amigas.

Novamente fui surpreendido. Nas últimas semanas, um novo casal começou a ser mencionado nas redes sociais. Aparentemente, uma das cinco meninas protagonistas, Lica (Manoela Aliperti) começou a se envolver romanticamente com Samantha (Giovanna Grigio). Inclusive, as duas iriam trocar um beijo.

Assim que li essa notícia, passei a acompanhar ativamente o Globo Play para ver o tal beijo. De fato ele aconteceu. É claro que não foi um beijaço igual a dos casais héteros da novela, mas foi o primeiro beijo entre pessoas do mesmo sexo exibido no horário da tarde da TV Brasileira. Isso é muito importante! Imagina como seria se nós, jovens de vinte e poucos anos, tivéssemos tido a oportunidade de ver um casal desses na TV quando ainda tínhamos por volta dos 12 anos? Além de nos tornarem pessoas muito mais compreensivas e tolerantes, muitos de nós poderíamos ter tido menos conflitos com questões relacionadas a nossa própria sexualidade. É claro que ainda existe um longo caminho a ser percorrido, e é claro que existe uma discrepância entre a forma que o casal Lica e Samantha é retratado e a forma que os casais héteros são, mas não podemos diminuir a importância dele existir. Tenho certeza que muitas crianças do Brasil estão assistindo essa temporada com um sorriso de orelha a orelha, se sentindo representadas e correndo pra chegar em casa e assistir o capítulo do dia. Eu fico na torcida do casal #limantha e espero que esse seja apenas o primeiro de muitos casais LGBT's que veremos na TV aberta.

#gay #lgbt #tv #televisão #redeglobo #comportamento #representatividade

Posts Em Destaque